logo

Sarampo: conheça os riscos da doença

Sarampo: conheça os riscos da doença

Além de deixar sequelas, o sarampo pode levar à morte. Saiba mais sobre essa condição acompanhando este post! 

 

O que é o sarampo? 

sarampo é uma doença infectocontagiosa provocada pelo Morbillivirus. Sua transmissão acontece através da tosse, da fala, do espirro e da respiração do(a) paciente contaminado(a) para outro indivíduo não imunizado. Portanto, a vacina é a forma mais eficaz de prevenir a doença. Atualmente, 3 tipos protegem contra essa doença: dupla viral, tríplice viral e tetra viral. Todoeles são disponibilizados gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde). 

O período de incubação do vírus pode variar entre 7 e 18 dias. Após esse intervalo, os sintomas começam a se manifestar.  

Uma vez que o sarampo facilita a aparição de infecções secundárias no organismo doente, sua presença pode ser fatal. Por exemplo, no Brasil, 14 mortes pela doença foram registradas no ano passado (2019). 

 

Sintomas  

Os principais sintomas do sarampo incluem: 

 

▪ Presença de manchas vermelhas no corpo; 

▪ Febre acompanhada de tosse; 

▪ Espirros; 

▪ Irritação nos olhos; 

▪ Nariz congestionado e com coriza; 

▪ Fotofobia; 

▪ Dor de cabeça; 

▪ Indisposição; 

▪ Otite; 

▪ Perda de apetite. 

 

É válido mencionar que as manchas vermelhas se manifestam, primeiramente, no rosto. Em seguida, elas aparecem atrás das orelhas e se espalham pelo restante do corpo. 

 

Complicações do sarampo 

A doença é grave e, quando não provoca a morte, tende a deixar sequelas no indivíduo. Segundo o Ministério da Saúde, as complicações variam de acordo com a faixa etária do(a) paciente: 

 

▪ Crianças com sarampo correm o risco de desenvolver pneumonia, otite média aguda e encefalite aguda. Além disso, a cada 1.000 crianças contaminadas, 1 a 3 podem morrer devido às complicações da doença; 

▪ Adultos podem ser acometidos pela pneumonia; 

▪ Mulheres entre 10 e 49 anos (idade fértil) não vacinadas antes da gestação podem passar por parto prematuro. Ademais, nessas situações o bebê pode nascer abaixo do peso. 

 

Inclusive, gestantes não são autorizadas a tomar a vacina contra o sarampo. Bebês menores de 6 meses e pessoas com doenças crônicas (como hipertensão, AIDS, câncer e diabetes) ou autoimunes (como lúpus, esclerose e artrite reumatoide) também são grupos que não devem receber essa injeção. 

 

Diagnóstico  

Os especialistas em Clínica Geral e Infectologia são os médicos que realizam o diagnóstico do sarampo. Além do exame clínico, podem solicitar exames laboratoriais como, por exemplo, o IgM específico ou PCR. 

 

Tratamento 

Não existe um tratamento específico para o sarampo. No entanto, alguns medicamentos e a suplementação de vitamina A podem ser prescritos com o intuito de amenizar o desconforto provocado pelos sintomas.  

Além disso, além do repouso, é importante manter uma boa hidratação e alimentação saudável. 

 

Agora que você já conhece os riscos que envolvem o sarampo, verifique se a sua carteira de vacina está atualizada. Se tiver filhos com idade superior a 6 meses, leve-os até o posto de saúde mais próximo para garantir a imunização. 

 

Ao apresentar sintomas suspeitos, procure o(a) clínico geral ou infectologistaAgende um horário na Clínica Vittá! 

Clique para Ligar
Agendamento Online